Meu dia de cão (Desabafo)

Bem, vamos lá mais uma vez, disse que o outro post era pra desabafar, mas ainda tenho muito o que dizer.

Pra começar não sei nem se alguém perde seu tempo lendo os meus posts, afinal há blogs muito mais interessantes na web do que o meu, mais não há problemas, pois como já disse a intenção não é chamar a atenção e sim poder desabafar - ao menos no marcador Diário. Então vamos lá...

Quero ainda poder continuar a falar sobre a vida e seus questionamentos, hoje por exemplo não fui ao serviço, é isso mesmo não fui trabalhar!
O motivo?

Cara, eu precisava espairecer um pouco, dar uma folga pra mim mesmo e descansar a cabeça, estava exausto mentalmente, meu corpo estava estressado demais, muito cansado mesmo, afinal não é qualquer um que aguenta 14h de trabalho direto, de sexta passada a ontem, sem falar de tudo que passei esses dias, principalmente ontem...

Não é fácil, você julgar tão mal uma pessoa e depois ver que pelo seu julgamento, não só ela, mais outras acabaram sofrendo também, ainda tive que consertar um erro enorme que aconteceu, só Deus sabe como, já que a minha parte e do outro envolvido foi feita com o maior esmero - graças a Deus isto foi resolvido!

Mais o mais duro foi o que aconteceu ontem.
Eu trabalho na Oi, numa loja que fica no centro de Guarulhos em frente ao cemitério, gosto do meu serviço, curto bastante o pessoal de lá, são muito gente fina, mas como todo trabalho há dificuldades e ontem enfrentei uma barra muito pesada.

Estava eu como sempre motivado, afinal, ontem foi o último dia para que pudessêmos bater a meta da loja, e eu sabia que conseguiriá-mos, está certo que pra vendas ontem eu não estava lá estas coisas, mas eis que por volta das 17h, atendi um cliente e fiz o resgate do número dele, antes que eu terminasse chegou outra cliente e pediu-me um chip pré-pago, falei para esperar e levei o cliente até o caixa, demorei um pouco pra voltar e quando estava voltando alguém me pediu para pegar um celular, como estou responsável pelo estoque o fiz de prontidão - a loja estava um forno e já que o estoque tinha um ar gelado, dei umas andas por lá pra esfriar um pouco meu corpo.

Quando ia saindo uma cliente solicitou-me sobre o desbloqueio é claro que não ia deixá-la falando só e tentei ajudar, mas quando peguei de sua mão o aparelho para análisar a cliente que me aguardava veio com tudo, retirou o mesmo da minha mão entregando a cliente dizendo ter chegado primeiro para ser atendida - tomado pela surpreendente agressividade da pessoa - pedi-lhe o CPF e ela disse que meu atendimento era péssimo, o que prontamente avisei-lhe que não gostando do mesmo poderia ir a outro local e comprar assim o que desejava, porém ela bateu o pé e me quis obrigar a chamar meu superior, o fato é que fiquei em estado de nervo tão grande, que tive que ir para os fundos da loja, onde só os funcionários tem acesso, para respirar um pouco, ela veio atrás de mim, mas fechei a porta, minhas mãos estavam tremendo muito, nunca em todos anos trabalhando com público havia ficado neste estado, como naquele momento.

Ao sair, lá estava ela, sentada no banco aguardando meu superior, pra resumir, pois não aguento mais ter que ficar revivendo este momento, já que me causa mal estar. Ela pegou meu nome, o telefone e nº da loja, disse pra meu superior e a moça da Adm - que não tinha nada a ver com o peixe e nem era pra ter sido chamada - que ia fazer um ocorrência, pois era um preconceito e que isso e aquilo e blá-blá-blá-blá. Vendo que não adiantaria em nada ao sair me chamou, eu estava antedendo outro cliente, olhei para ela - é claro que ja esperando algo de ruim, pois sou sensível a essas coisas - ela cuspiu em meu rosto e ainda disse que eu era um lixo.

Tudo isso porque queria ter algo pra falar de mim, me acusou de racismo, inventou histórias, disse que chamaria a polícia, mas no fim vendo que não adiantaria em nada e que ninguém dera atenção para o papel de desequilibrada mentalmente - que desempenhara muito bem - acabou fazendo isso.

Por ter saído rápido meu cliente não conseguiu alcançá-la, todos que estavam presentes na loja naquele instante viram o acontecido, principalmente as cameras de segurança que registraram tudo.

Corri, lavei meu rosto e voltei a atender, como se nada tivesse acontecido até que chegou uma hora que não aguentei e fui respirar um pouco no banheiro, deve ter ficado por lá umas meia hora ou mais, até que deu 18:00h, que é quando a loja fecha, me arrumei mas não consegui ir embora já que o pessoal precisava de mim.

De lá os vendedores iriam para o Internacional Shopping, pois precisava-mos chegar em nossa meta, se bem que o dia havia sido muito produtivo e não faltava muito, eu, não queria ir pois precisava relaxar um pouco, mas convencido, fui. Porém pra compesar, hoje tive de faltar, pois se não eu enlouqueceria.

Faço o possível pra ser forte, dar o melhor de mim e ajudar meus companheiros, mas há um momento que até os grandes tropeçam e esse foi meu momento... enão há nenhum emprego no mundo que custe sua vida (saúde, mental ou física, o que seja) e isso pude constatar amargamente em outros empregos, por isso não me incomodo de ter faltado hoje, me custa é claro por não poder dar um suporte pros companheiros, mas quando patrão acha que você não serve mais, não importe o quanto você se doou, ele só te demite e ponto final! Esse foi a lição que aprendi em experiências anteriores.

Só preciso acertar algumas coisas com meu supervisor, e a moça da Adm, mas isso deixarei para amanhã.



Ósculos e amplexes,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim