Vem aí a primeira escola gay do Brasil, prepare-se

Há mais ou menos 55 anos atrás, 1955, um jovem pastor batista e ativista, gastou suas forças e seu tempo para lutar contra algo que perdurava nos Estados Unidos da América, desde 1° de janeiro de 1863, que era a segregação racial. Este líder foi tão influente e lutou com tanto afinco que em 14 de outubro de 1964 ganhou o prêmio Nobel da Paz, pela sua resistência não-violenta, ficando como a pessoa mais jovem a receber tal premiação.
Martin Luther King Junior resistiu a muitos ataques violentos até que acabou por ser assasinado no dia 4 de abril de 1968.

"Graça à Deus, não vivevemos em um meio que tem segregação", isto até pouco tempo poderia ser dito, já que o governo do estado junto com grupo LGBT E-Jovem juntaram-se para a criação da primeira escola gay, que será destinada também aos não-gays, com a intenção de combate a homofobia, apartir deste ano.



E escola está sendo criada para divulgar os "valores" homossexuais e sua cultura, porém a idéia não terá outro fim a não ser causar ainda mais dissenções e porfias, já que criando uma escola de temática gay se estará fazendo segregação, no caso além de sexual, discriminatória. Pense como seria estranho se os homossexuais começassem a ser expulsos das escolas "normais" com a intesão de serem apenas heterossexuais e fosse difundido de toda forma o quanto é importante ser hetero, atráves de impressos e mídias que fossem distribuídas e apresentadas por todo estado gratuitamente com intuito de combater o preconceito homo, mas é exatamente isso que a escola, que terá sede em Campinas, pretende fazer atráves de suas oficinas e bolsas de estudos gratuitas.

Parece que não se aprendeu nada com Marthin Luter King, pois se briga por um direito quando te suprimem dele, quando não se há liberdade para se viver em igualdade com o próximo e é exatamente o contrário que esta escola proporciona, já que terá uma identificação que os diferencie, quando fisicamente não existem diferenças, ambos, homo e heteros, estão amparados pela lei que os dá direito a vida, crença, liberdade de expressão e proteção.

Negros foram perseguidos, mulheres eram tratas com diferança, pessoas não tinham direito ao voto por isso mesmo, necessitaram lutar por seus direitos, mas aqui não há nehuma caça as "bruxas", não há que se exigir uma escola gay já que os mesmos não estão sendo expulsos das escolas "normais".

Lembre-se ainda que a busca desemfreada de adquirir direitos, os homo, acabam por passar por cima do deireito de outros, assim como aconteceu com o finado PL122, estão buscando por algo estremamente nocívo a sociedade em supremacia da minoria, os mesmos se estão excluindo e acabam cometendo os mesmos erros dos quais lutam contra. Imagine como estaria Luther King se visse o que fizeram com seus ideais.

O que mais surpreende é o que diz Deco Ribeiro, apontado diretor da escola: "Preconceito é ignorância. Para vencer isso, precisamos levar nossa arte, nossa expressão e nosso discurso a quem não nos conhece. Se a valorização da cultura negra é estratégia do movimento negro, assim como de vários povos e regiões, por que não valorizar a cultura LGBT?", o que teria de tão inteserrante e que possa ser agregado a sociedade? Quanto a cultura, o que se entende que possa ser cultivado são os trejeitos mais do que conhecidos pelos humoristas e, que são duramente criticados por várias ONGs gays por mostrarem aquilo que não são, mas com uma escola que divulgue essa cultura, ficará exatamente claro o contrário.

Chesller Moreira, presidente do Grupo E-jovem, diz que faz-se "necessário o jovem saber suas raízes", mas que raízes? Por acaso eles tem uma decendência, ou procedem de um país específico, ou ainda, de outro planeta? São mutantes que foram alterados pela genética e por isso mesmo precisam conhecer suas raízes?

Negros tem raízes, nordestinos tem raízes, judeus tem reízes, japones, mas homosessuais tem as mesmas raízes de qualquer um destes. Em suma, não existe raiz homossexual!

"E mais importante ainda é saber que é possível ser feliz sendo exatamente quem você é. O jovem ouve tanto por aí que ser gay é errado que ele fica sem referências positivas. Aqui ele vai poder descobrir que ser gay é legal, que ser travesti é legal, e que ele tem muito a oferecer à sociedade.", diz Deco

Há homossexuais que chegam até a se matar devida a opressão que sofrem, entretanto não são os únicos a serem marginalizados, quantos pais de família que sofrem com falta de emprego, jovens que não tem oportunidade de conseguir algo de bom além das drogas, alguns acabam não suportando e se redem. Mas uma maioria gritante tem desejo de viver e luta contra uma sociedade injusta e precoceituosa que despresa o pobre, o negro, o evangélico, o nordestino - o diferente.

Jogar a culpa na sociedade não passa de chavão, pois a vida nunca será facil pra ninguém. O que vocês ativistas tentam fazer é tentar criar uma sociedade utópica onde tudo seja cor de rosa, sinto lhes informar que isso é impossível, mas não só para vocês, como pra todos os demais.

Quanto ao governo do estado gastar o dinheiro público em algo como isto é extremamente injusto, pois até hoje não foi criada uma escola pública para os deficiêntes, se bem que nem os mesmo a querem, pois criá-la os estaria excluindo da sociedade, ao invés disso algumas vezes vê-se capacitando os professores para saber dar-se melhor com os mesmos.

Ora, se não há nenhuma diferença ontológica entre homossexuais, bissexuais e heterossexuais, e se aos olhos da constituição federal e dos direitos humanos ambos são cidadãos, contando com os mesmos deveres e direitos, logo, qualquer iniciativa que se assemelhe a esta escola de Campinas é desnecessária e apenas agravará a questão do preconceito social.

Lembrem-se das cotas para negros que acabou por causar ainda mais apartheid do que união, já que a segração racial já não existe no Brasil, o que existe é a falta de investimentos na edução e cultura, digo isso sem demagogia.

Me pergunto ainda o que poderá um jovem transviado contribuir para a sociedade? Será que vendendo seu corpo para entretenmento (como o fazem as prostitutas), destruindo famílias, desviando milharares de infantes, fantasiando-se com roupas escalofabéticas, se incentivando a o autoflajelamento arrancando-se os orgão sexuais - como tem sido feito por crianças, como Kim Petras da Alemanha, que nasceu Tim, e que começou o tratamento para mudança de sexo aos 12, terminando-a aos 16 - se estará contribuindo para uma sociedade melhor?

Pense: Não existe problema genético, também não é psicológico, como alguém sabe que não era pra ter nascido homem ou mulher, que nasceu no corpo errado? Se a própria comunidade homo não aceita que a homossexualidade como doença, então tudo não passa de uma opção, de uma escolha que está sendo imposta por escolas como essa que deturpam os ensinos bílbicos e da moral.

Que possa Deus te libertar, pois só assim serás livre.


Fontes:
Púlpito Cristão
Web Evangelista
Wikipédia
DW World

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim