3 dicas pra acabar com um relacionamento


Luck era um rapaz meio reservado - como preferia se definir, ao invés de dizer abertamente que era tímido - nas coisas referentes ao coração, sentia-se pouco à vontade quando pretendia cortejar o sexo oposto.

Se conseguia ao menos comunicar-se com alguma garota e se fazer entender?
Claro que sim, aliás vivia cercado delas, mas no que se refere ter uma aproximação maior de uma garota isto era bem mais complicado - ao menos era o que imaginava - não era tão simples quanto puxar uma conversa e fazer amizade, isto não lhe era difícil, até por isso muitos caras o invejavam, pela facilidade com que se fazia entender pelas garotas e como as conquistava com seu jeito único e simpático de ser. Acontece que seu diferencial estava em ver as meninas como, antes de tudo, um ser esplêndido, digno de admiração, ao invés de simples pedaços de carne.


Ele havia tentado algumas vezes, sem muito sucesso, alguns galanteios e houve vezes até que seus amigos praticamente lhe empurraram para cima de algumas meninas, o que só serviu para frustá-lo ainda mais.

Entretanto, ele percebeu que existem vários tipos de garotas e que cada uma tem seu jeito de ser - o que só o deixou ainda mais desesperado, afinal mulher já é complicada no geral, pior ainda quando você descobre que dentro de cada uma tem um universo - e que alguns galanteios funcionam com umas e com outras não tão bem. Bastava encontrar seu "tipo" ideal.

Não obstante, antes que acabe este curto conto, fique o leitor sabendo que Luck encontrou sua garota.

O dia não estava perfeito, não havia um sol cálido e esplendido, nem era primavera - tempo de amor e de casais de animaizinhos apaixonados por todo lado, primeiro por viver numa selva de pedra e segundo por não estar em nenhuma animação da Disney.

A tarde fagueira era como qualquer outra, horário de verão, ou seja, já era noite, mas como o sol ainda estava exposto no céu, acabou por esquecer-se desse detalhe e pôs-se a lembrar que a teria conhecido numa tarde de domingo.

Bem, pulando as normalidades daquele dia tão comum iremos para coisas ainda mais habituais, sua irmã havia-lhe pedido para ser anfitrião de suas amigas que lhe haviam de visitar e foi o que fez e com seu habitual cavalheirismo recebeu as duas damas com ósculo em suas faces e um abraço com muito gosto.


50 cent ft NeYo - Have a Baby By Me (Remix)

Uma das duas gurias lhe era desconhecida o que já fê-lo olhar diferentemente, ela, não era a supremacia da beleza, mas também não era uma fealdade, possuía uma rara beleza até que comum, era muito extrovertida e feliz (características que lhe fisgavam com extrema facilidade).

Não demorou muito para ele começar, literalmente, a dar em cima da gaja sem se importar a rejeição, começou mais como uma brincadeira - foi aí que descobriu que também podia ser sensual, se é que o desenrolar desta conquista possa ser considerado apropriado ao termo.

É claro que qualquer perfeito épico não estaria completo, apenas com amor, se não houvera guerras, dificuldades - e no caso aqui - um vilão mala, a altura. E o indivíduo em questão não terá seu nome postado por simples motivos de copyright - já que não foi concedido o direito de uso e apropriação de imagem da trademark a que pertence seu nome que foi devidamente registrado nalgum escritório de patentes de vários países - como o fez Andreas Pavel com sua invenção usurpada pela Sony. Então ficará sem nome mesmo, já que não possuo nem dinheiro pra mim, quanto mais pra pagar direitos violados, pense em como deve ser alta a multa por atentado ao pudor! Mas como a estória, está bem, sei que não se usa mais este termo! história é minha posso escrever sobre o cara, ainda que não possua direito de citar a fonte. (Literalmente LOL)

Mas voltando a crônica, eis que o ser importuna Luck, pois tinha a pretensão, ainda que não percebesse a sua falta de beleza e total desprovimento de bom apessoadamente (Putz, o caro era um tremendo mala sem alça), de ter algo bem mais além de trocas de palavras, pretendia trocá-las, mas em outros idiomas. Lá foi a criatura incomodá-lo para que ele lhe apresentasse as garotas, no que recusou-se por seu total senso de livrá-las de pessoa tão inconveniente, disse-lhe que uma estava namorada e a outra estava com ele.

- O quê? - Foi a única coisa que o total cético consegui dizer e diante de afirmações infundadas de que nunca o tinha visto com garota alguma, claro que não vira, não havia sido ele que beijara as minas que ele já havia ficado. Não sentindo-se nem um pouco insultado, pois já sabia o quão grande tinha de ser o saco-de-papai-noel para suportá-lo, desvencilhou-se da criatura e foi acompanhar sua gaja.

É óbvio, que não terminarei sem dizer que eles acabaram trocando um beijo aquela noite mesmo antes da garota ir embora, com um amigo que lhes dera carona para a vinda. Aquele beijo mais o traumatizou do que fê-lo apaixonar-se, isto porque, pra não dizer que beijava de boca fechada, ela beijava diferente dele. Mas Luck resolveu não desistir, pois a divergência poderia ter sido apenas motivada pela pressa do momento - mais tarde descobriria ele que estava redondamente enganado, mais enganado que redondo, pra alívio seu. Ali soube o que é um "beijo técnico", aquele de novela, que até pode ser bonito de se ver, mas que é ruim quando se experimenta.

Entretanto, o que fez com que terminasse seu relacionamento de exatas três semanas, puxa como durou, foi o nível em que viu estar avançado seu o mesmo - se é que poderia ser assim denominado, já que viu-a apenas mais três vezes, o contato maior era per fone. No mesmo dia em que ficaram ela já o chamava de amor, pegou-lhe o celular e trocou seu nome por amor e na segunda vez que ficaram já lhe falava sobre a aliança que lhe era por direito quando completassem um mês de namoro, ou seja, dali a no máximo duas semanas.

O que assustou-lhe foi a pressa com que ela via tudo, ele apenas queria conhecê-la, pra falar a verdade queria-a mais para não ficar só, mas como caminhava as coisas teve que dar um basta antes que fosse levado ao altar no terceiro mês de namoro, a desculpa que deu para os conhecidos foi de que ela não beijava como ele e todo mundo gostava. Porém terminou antes que ela pudesse se apegar realmente ou ainda mais a ele.

Antes que possa me recusar a escrever, creio que já não o possa, pois aí faltaria uma das preciosas dicas para acabar de vez com qualquer relacionamento. E se é isso que você quer é só segui-las, lembre-se: elas são infalíveis. Qualquer dúvida basta perguntar ao traumatizado do Luck que ele caso responda não terá prazer em respondê-lo, ainda mais por ser verdade.

Ela ligava-lhe a todo instante, ainda que estivesse trabalhando, ou lhe enviava sms, até que ele conversou que não lhe cairia bem e que não desejava dar motivos pra que falassem de ambos, vamos concordar que neste ponto até que ela melhorou. Porém quando estava livre queria lhe ligar a todo instante e que a ligasse, quando na maioria das vezes, tinham apenas água a dizer. O que mais lhe enervava era ela pedir que lhe ligasse e quando ele retornava dizia-lhe que estava ocupada no momento e que não podiam comunicarem-se.

Foi melhor assim, mas acabou por continuar só, quem sabe alguma hora dessas não encontra uma menina um pouco menos apressada e dê para curtir um namoro básico, onde se possa conhecer antes do uso da palavra amor e, ajustados os beijos, ter algo que possa ser mais que uma futura amizade.

Segundo Luck as três dicas básica são: apressar as coisas, não saber beijar usando a língua e ficar ligando todo instante sem ter nada a dizer!

A narrativa de enredo indeterminado terminou, mas creio que estás a pensar como nossa heroico e audacioso desbravador de corações deu um fim ao seu namoro. Como ele conseguiu isso foi fácil, ele o fez como faria qualquer cafajeste, simplesmente não lhe retornou as ligações como se nunca houvera nada entre ambos. É claro que até hoje sente-se o quão canalha é, mas se sente ainda mais aliviado de ter escapado de alguém tão energicamente precipitada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim