Escravos de Deus


"Sacrifício e oferta não quiseste; as minhas orelhas furastes, holocausto e expiação pelo pecado não reclamaste.
Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito. Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração.
Preguei a justiça na grande congregação; eis que não retive os meus lábios, SENHOR, Tu o sabes. Não escondi a tua justiça dentro do meu coração, apregoei a tua fidelidade e a tua salvação. Não escondi da grande congregação a tua benignidade e a tua verdade.
Não retires de mim, SENHOR, as tuas misericórdias; guardem-me continuamente a tua benignidade e a tua verdade.
Porque males sem número me têm rodeado; as minhas iniquidades me prenderam de modo que não posso olhar para cima. São mais numerosas do que os cabelos da minha cabeça; assim desfalece o meu coração. Digna-te, SENHOR, livrar-me: SENHOR, apressa-te em meu auxílio." [Salmo 40.6-13]



Segundo a lei mosaica depois de seis anos o escravo hebreu deveria ser liberado, no sétimo ano deveria ele estar livre sem levar em conta a que preço fora adquirido, a não ser que quisesse servi-lo por vontade própria, então, perante os juízes furava-se-lhe as orelhas, esta ação imprimia que ele lhe seria escravo por toda vida, mas diferentemente de antes, o seria por amor. Qualquer escravo que com o tempo que passara com seu senhor e desejasse continuar a servi-lhe, pelas beneficências e reconhecesse todo quanto bem que lhe fizera, remindo-o da situação de humilhação em que estava, aprendendo a amá-lo e que fazia parte integrante da família a qual vassalava. [Êxodo 21.2-6]
Quando Davi diz que as orelhas lhe foram furadas - e não abertas como algumas precárias traduções o dizem - está referindo-se a servir a Deus por livre e completa espontânea vontade, ele amava servir o Deus que o havia comprado como escravo do deserto, lhe erguendo do pó e o fazendo assentar entre príncipes [Salmo 113.7-8], engrandecendo seu nome entre todas as nações.

Deus que estava com ele, mesmo quando não era nada, nem ninguém, quando fora apenas um desprezado pastor de ovelhas, pequeno e franzino que até mesmo aos olhos do profeta que lhe ungira e de sua família fora desprezado [I Samuel 16.11].

Esse Deus que lhe conhecia o coração, não atentando para a aparência [I Samuel 16:7] o havia engradecido sobre todo Israel, por isso ele prontamente insistia em servi-lo sendo seu servo, mesmo sabendo que teria de fazer a vontade de seu Senhor e não a sua própria, o resto de sua vida seria apenas para servir ao Deus que o comprara, mas que o havia libertado por não querer que lhe servisse por obrigação. Exatamente tem de ser essa a nossa motivação, servir a Deus, estar em sua Casa de Oração por amor e não por lembrar que é obrigado, Jesus te libertou da escravidão do pecado, de qualquer jugo que lhe prendia.

Mas ainda há muita diferença entre Deus e os senhores de escravos, pois eles eram obrigados a libertar seus subjugados - ainda que não quisessem - já Deus nos comprou e de imediato nos pôs em liberdade. Não exigiu que o servíssemos por determinado tempo, resgatou-nos simplesmente para sermos livre das cadeias que nos prendiam.

Não somos obrigados a nada, até porque Deus se agrada de um coração quebrantado e contrito, o espírito quebrantado ao qual Deus não despreza [Salmo 51.17] e não algo forçado sem emoção, fervor, apenas para pagar uma dívida - como se fora possível fazê-lo.

Que possamos ter a ousadia de Davi para dizer: "Deus a Tua Palavra fala de mim, pois sou aquele que se alegra em fazer a tua vontade!" - ainda que meu nome ou história não estejam escritos ali, mas lá também fala de mim e de você "aqueles que se alegram em cumprir a vontade de Deus." quando Davi disse isso, não fazia a menor ideia de quanto influenciaria a Bíblia e quão profundamente Deus o usaria para prenunciar a vinda de Jesus - não fazia a menor ideia de que sua vida e história moldariam Israel e se anexariam aos 66 livros da Bíblia como a conhecemos hoje.

Não importa o que estejas passando, realmente você não saberá o que lhe sucederá amanhã, não sabe a forma com que Deus lhe quer usar, pois Ele sabe os pensamentos que tem sobre ti, pesamentos de paz e não de mal, por isso nos basta buscá-lo para que o encontremos [Jeremias 29.11-13].

Apesar da vontade de Deus estar no coração de Davi, ele não a ocultou lá, enterrando-a, como o homem da parábola dos dez talentos [Mateus 25.13-30], como se bastasse apenas ouvir - "vou a igreja pra me encher", mas e depois pra onde vai a unção? - ele não contentava-se em apenas saber aquelas sagradas letras e não manifestá-las a todos na Grande Congregação.

Aonde fica a lei da semeadura?
Se algo é plantado, o é para produzir frutos e em abundância e será por esses mesmos frutos que Deus nos reconhecerá [Mateus 7.16], pelas obras, as almas alcançadas e levadas a salvação de Deus em Cristo Jesus.

Qual o sentido de recebermos a Palavra de Deus se não a manifestá-la a quem necessita? Não simplesmente a podemos abafar em nossos corações, devemos manifestar a fidelidade e a salvação de Deus e a despeito das circunstâncias quem nos guardará continuamente será a benignidade e a verdade de Deus, já que quando começamos a pregar sobre Suas maravilhas vários se levantam contra, para nos calar com mentiras e calúnias, mas como Paulo disse sofrer pela Palavra vale a pena, já que a bondade e verdade de Deus nos protegerão.

A bondade e verdade nos protegem não apenas dos males que nos cercam, mas também das iniquidades que comentemos e que impedem de olharmos para cima, de onde vem nosso socorro [Salmo 121.1-2], já que como os que nos perseguem, somo falhos e, inda que mais numerosos que os cabelos da cabeça e o coração nos chegue a desfalecer, Deus se dignará em vir em nosso auxílio, socorrendo-nos em meio a aflição.

Para isso basta sermos como Davi, servos - falhos - mas servos desse Deus tão maravilhoso, amar ser escravo de Alguém que nos libertou de nós mesmos para termos razão em nosso viver, se o fizermos poderemos ousadamente pedir que seja nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. Humildemente com o coração quebrantado, já que Deus esquadrinha todos os corações e penetra todos os desígnios do pensamento [1 Crônicas 28:9].



Que a Graça de Deus permaneça imutável na vida de cada um dos que tiveram a audácia ler toda essa mensagem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim