Maçãs, Morango e uma pitada de Chili Peppers [Parte I]

Jared não acreditava muito em amor virtual, para ele a ideia de amor platônico não passava de algo pueril, afinal, de que valia enamorar-se por uma pessoa da qual jamais se pudesse ter algo físico, que existisse apenas surrealmente.

Zombava ele de toda essa bobagem e ria com muito gosto quando via as pobres vítimas de redes sociais enviando juras de amor e até mesmo marcando encontros que as vezes em nada dava e continuava no nada, tudo aquilo não passava de um fanatismo, realmente algo desenfreado, para encontrar alguém que muitas vezes não existia aquém da internet, no chat a regra sempre era mentir para ser cada vez melhor naquilo que se não podia real-mente ser, mas parece que as pessoas gostavam de fake já que as histórias de romances virtuais existiam as pencas - muitas apenas frutos de uma mente fantasiosa.

Certo dia estava vendo todo o burburinho em torno de uma tal de Emily Erdbeer, que estava a causar grande furor entre seus colegas, na página do orkut, todos os garotos estavam derretendo-se por Amy e ela respondia com muita afeição a cada um deles, ao ver isso foi taxando-a de desavergonhada - com o devido peso que não me permite postar palavra de um calão mais baixo - pra poder comprovar sua tese Jay resolveu fazer amizade com Amy e viu-a tratá-lo da mesma forma que os outros o que o deixou ainda mais surpreso.


Como uma guria que nem bem conhecia os caras os tratavam tão afetuosamente, alguma coisa deveria estar muito errada n'algum ponto que entremeava toda essa história, toda aquela meiguice - meio piegas - soava meio dissonante.

É claro que todo veneno que destilou por Amy havia sido injetado por sua amiga, Desgrazie, que lhe contara o "caso" que aguçou sua grande curiosidade fazendo-o comprovar todo aquele desenrolar, "não te disse" falara orgulhosamente ela por se atestar estar certa.

Como Jay era curioso por demais, resolveu investigar melhor a história, mais pra ver o quanto estavam certos - sem saber que apenas estava a comer pelas mãos de Zie - e tornou-se amigo de Amy, como resultado descobriu a simpatia que ela era o que não agradou de forma alguma sua "amiga".


Nikka Costa - Stuck To You

Zie tentava de qualquer forma provar o quanto Amy seria impudica, porém o contrário lhe aconteceu quando resolveu adicioná-la e viu Amy tratar-lhe com doçura tal, neste ponto cansada pela raiva que sentia por não conseguir provar o que queria resolveu sair da briga, afinal, tudo que tentava dizer sobre Amy era rebatido carinhosamente por Jay que mostrava o quanto estava ignorantemente errada - aquilo era pior que mesmo ter cometido um grave erro - ter de ouvir Jay dizer o quanto estava errada causa uma imensa dor em seu peito.

Por fim, sentou-se no computador mais afastado que o de Jay - próximo a porta - ficando a frente da basculante de vidro - eles estavam na escola em que cursavam informática, o momento era de horário livre e como monitoravam algumas turmas devido a seleção que sobressaíram-se - como se fosse menos doloroso a sala estar meio vazia - Zie observava-a - ao menos isso não a fizera parecer ainda mais ridícula. Ficou ali sem ter o que fazer na internet - olha que pra conseguir isso tem de estar muito down, já que coisas pra fazer, e não fazer, tem muito na rede internacional - observando hora ou outra o olhar embasbacado com que Jay insistia em manter ao ler os scraps mandados por Amy.

Afinal, perdera mais um amigo para as graças de Amy, mas tudo não passava de mea culpa, lembrava ela, pois fora-a quem despertara a curiosidade de Jay para com Amy. Aquilo que queria era afastá-lo dela antes que ficasse como os demais bobões, mas esquecera que homens são todos iguais e que não resistem a uma "sirigaita" - pelo menos desde que o mundo é mundo, Eva que descobrira esse geitinho de seduzir o homem e agora suas filhas o utilizavam com muito sucesso.

- Mas qual o problema de querer manter os amigos para si mesma? - Indagava de si para si mesma, sem ter a menor compreensão do quanto aquilo a deixara triste e magoada, ela era muito ciumenta com suas amizades, que eram poucas, mas suas - amigos de verdade não são encontrados as pencas, no máximo se usa uma mão para contá-los.

Toda história havia começado alguns dias atrás, quando Casio, um amigo de ambos e que fazia parte de uma das turmas as quais monitoravam, fora a uma excursão do Playcenter, lá conhecera Amy e ficara com a mesma, depois disso Amy viu um aumento esporadicamente significativo do gênero masculino ente os contatos recentes que lhe adicionavam, ela simplesmente os adicionara e vendo-os tão galante e simpáticos lhes co-respondia em igualdade de carinho.

Cassy, também tinha culpa no cartório - registrada na comarca e em caso de dúvidas poderia ser consultado o foro mais próximo da comarca para a constatação do laudo comprobatório de culpa e alea jecta - já que divulgou o quanto Amy era especial e fora bom ter passado aquela tarde - como bom marqueteiro divulgou para seus amigos todo aquele dreamday.

Comentários

  1. Caramba Zall agora que tava ficando bom você para !!!!!

    ResponderExcluir
  2. Fico contente que tenha gostado da história, xuxu.
    Pensei que não gostaria dela, mas espera até a outra parte.
    =)


    Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

¿Se você gostou está esperando o que pra comentar?
¡Comente este artigo que acabou de ler, agora mesmo!

Comentar faz toda diferença, pois sinto o feedback das pessoas pra quem faço o blog com tanto carinho e isso me motiva a escrever cada vez mais. Você não tem ideia da diferença que faz um comentário.

¡Atenção!
» Todos os comentários são moderados e liberados apenas depois de analisados;
» Não há problemas com críticas, desde que você saiba se expressar;
» Evite palavrões ou palavras de baixo calão;
» Escreva o mais correto possível;
» É proibido escrever todo texto com caixa-alta ou em maiúsculo.

Quer entrar em contato ou tirar alguma dúvida? Então acesse o Formulário de Contato

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim