Problemas com perfil fake 1 [O mistério de Feiurinho]

Toinho - Toinhim para os amigos, "beleza não se limita a percepção visual, mas o conjunto da personalidade". Era assim que apresentava-se o profile daquele estranho que a adicionara, quando logou sua Google Account no site de rede social mais usado no Brasil e Índia - o fato é que ela custava a morrer de uma vez por todas e mesmo as várias mudanças não ajudaram muito - e ao observar os pedidos de amizade pendentes - "Eu deixo contatos na geladeira", era uma de suas comunidades favoritas, pra ela era extremamente prazeroso fazer aquilo, somente os carinhas mais bonitos deviam ser visto entre seus amigos, afinal, seu profile era referência para as demais garotas da escola e as vezes elas lhe pediam conselho, já que era a mais experiente com relacionamentos e tinha ficado com os garotos mais bonitos, dava dicas também através de seu weblog morangoscomgotasdemel.blogspot.com, seu interativo webdiary - viu então aquele pedido.


Mordeu o espesso lábio pin up ao observar que a foto do pretendente a amigo não mostrava nada demais, não revelava o rosto, apenas parte do tronco frontal e os membros superiores e inferiores, a curiosidade tomou-lhe fazendo com que acessasse aquele perfil - claro que sempre que visitava a página de algum desconhecido entrava com uma conta fake, para que depois não dissessem que visitara qualquer um, já que sua visita era disputada - com sua conta de estepe, vira seu apelido e aquilo foi o suficiente para causar-lhe asco, riu maliciosamente, inda mais quando observou as comunidades de "Toinhim": "Viva a beleza interior", "Sou feio, mas tô na moda", "Imagem não é tudo", "Sou feio sim, e daí?", "Desfoco fotos porque sou feio", "Feios até com Photoshop", "Feios e feias VIPs, só convidados", "Sou feio, mas não sou fake", "Sou feia*feio, e sei disso", "Eu em apaixono fácil, e daí?", "Sou pra casar", "Magrelo, porém sexy".

Depois de observar toda aquela descrição pessoal de extremo mal gosto o riso foi ainda mais extravagante, sua gargalhada motivada pelo ridículo foi alta a ponto de ser ouvida na sala da parte inferior de sua casa, que fez com que o pai fosse indagá-la sobre o ocorrido, mas sem mesmo dar-se o trabalho de abrir a porta gritou que não era nada. "Aff... Mas que saco, esses pais também se preocupam com tudo, não deixam a gente em paz", pensou depois de demorar alguns segundos pra convencer o pai de que tudo realmente estava bem.

Voltando a atenção para aquele perfil tão esdruxulo lembrou-se que Jessy havia dito que várias empresas usavam redes sociais para analisar as características psicológicas dos candidatos, as vezes bastava fazer uma pesquisa no maior buscador da internet, para descobrir tudo sobre os interessados em exporem-se - diferentemente de um reality show - gratuitamente.

Não havia dúvidas de que beleza interior era importante, mas nesse caso o cara dizia apenas ter isso, era demais pra ela cogitar aquilo. Katy sabia que a beleza não estava só no físico, músculos, rosto e os belos sorrisos dos rapazes, mas também em ter conteúdo, por isso ficava apenas com os garotos que tivessem todos esses atributos - "é, o mundo é dos mais espertos, mas também dos mais bonitos... Hahahá!!!" - continuava ela a gargalhar. Reparou ainda na filosofia de para-choque de caminhão que Toinhim demostrava ter, com aquela frase de filósofo de esquina, feita provavelmente por alguém feio para usar como desculpa pra sua falta de beleza, "a beleza está nos olhos de quem vê" e a feiura não existe aos olhos de quem não enxerga bem - parodiava ela esse jargão de gente horrenda.

Na segunda, pela manhã o comentário entre ela e suas amigas foi o tal do Tonho que adicionara-a, todas meninas riram gostosamente conforme Katy contava-lhes o despautério de toda desventura, os olhos enchiam-se de água conforme acidamente entretia-as contando como seria o "galente" Toinhim, já que em seu álbum encontrava-se apenas foto de seu i-touch, o envenenado Alienware, algumas fotos de gadgets e carros tunados e ainda de personagens de animê, suas únicas fotos eram a do perfil e das pernas.

- O cara ainda por cima é mó CDF. - Comentou Angie.
- Ô, se é, menina!
- Pior coisa que tem é, além de feio, o cara ser nerd. - Foi a vez de Lady zombar.
- Esse geeks se acham os tais, só porque entendem de coisas futuristas acreditam poder pegar as minas mais gatas... - Comentava Jacy até ser interrompida por Stephanie.
- Meu, isso só acontece no Big Bang Theory. - O que causou riso geral.
Quem se assenta nas roda dos escarnecedores ainda que só para ouvir acaba soltando uma pérola também, que sempre é bem-vinda na zueira geral.
- Pensem só? - Katy disse com a ironia patente em seu rosto.
- Ecaaaaaaaaa!!! - Todas exclamaram ao mesmo tempo, sem ao menos conseguirem cogitar tamanho o asco.

Ainda riam quando entrou na sala o novo aluno da escola, devia ter mais ou menos 1.90m, cútis morena, olhos de onix, cabelo lisinho e espetado, sorriso encantador que arrancava suspiros de todas as demais garotas quando desfilava com o corpo neoclassicista talhado por Michelangelo - não era marombado, mas tinha os músculos bem definidos.

- Olá garotas!
- Oooiiii - Devolveu o coral admiradas do seu belo sorriso.
O sinal fez-se ouvir e com a entrada do professor a realidade apossou-se delas.

A única pessoa que fugia a regra naquele nefasto círculo de patricinhas era Jessy, que não chegava a ser feia, mas não estava a altura da beleza exigida pelas garotas, apenas servia para seus propósitos por ser a mais estudiosa, para trabalhos e provas ou quando precisavam que googasse a ficha de alguém.

Jessy havia descoberto que Tonny viera de uma conceituada escola particular e que mudara-se apenas por seu pai ter assumido a presidência de uma renomada empresa do ramo eletrônico, uma multinacional - o que o fez mudar-se de estado e vir para Sampa, o cara era um ótimo desportista e havia ganhado algumas medalhas em campeonatos de nível estadual representando sua escola, que orgulhosamente exibia as informações e fotos em seu webspace e tuítara alguns lances no @schoolofgoldminds. A descoberta agradou por demais Katy e também as demais componentes do P!nk Croux - grupo de artilharia pesada encabeçado por Katy.

Elas também tinham seu twitter, o @pinkcroux, onde davam várias dicas de como se tornar uma verdadeira it girl e algumas dicas básicas de 140 caracteres, como manter um garoto de estepe, como ter estilo, porém na maioria das vezes eram apenas piadas e comentários, que destilavam veneno.


Depois de soar o sinal que marcava o encerramento das aulas naquele dia, Katy correu ao toilette para retocar a maquiagem levando algumas de suas discípulas, afinal, não poderia voltar para casa sem estar produzida, o que diriam as pessoas? E enquanto estava produzindo-se, na classe, as demais aproximaram-se de Jessy e entregando-lhe uma folha de caderno perfumada da Moranguinho escrita com caneta de glitter, também perfumada, exigindo que entregasse seus endereços de e-mail do Orkut para Tonny.

- Eu não vou fazer isso!
- E por que não? Quem você pensa que é para não nos obedecer? - Disse enfurecida Fridda, sendo macaqueada pelas demais.
- Mas se a Katy descobrir estou morta! - Jessy já sentia o suor escorrendo.
- Quê isso, ela nem vai saber. Agora vai! - Empurrou Jessy que meio sem jeito acabou enganchando o pé numa das cadeiras e foi cambaleando - o patinho feio foi direto ao encontro do cisne negro - quando chegou perto da carteira de Tonny, que conversava com os demais garotos, por pouco não cai em cima dele.


Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim