Momentos difíceis

"Para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim. E Deus disse-me: 'A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza'. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte." [II Coríntios 12.7-10]

Quando passamos por momentos de dificuldades e apertos, momentos que nos fazem cascatear lágrimas pela face, momentos que abalam as estruturas internas disparando o coração, momentos adversos e controversos o que rapidamente toma a razão é o desejo de largar tudo desesperando-se ou revoltar-se da vida, de tudo e todos - esquecendo que essa revolta acaba sendo contra Deus, já que somos falhos e não temos o controle de tudo.



Por isso é importantíssimo parar, parar e refletir, sobre a Palavra de Deus que prosperara nosso caminho [Josué 1.8], pois quando esses momentos nos sobrevêm os sentimentos tomam a razão e não conseguimos ver, enxergar a clareza da verdade de que Deus conosco está!

Temos um Deus que criou o mundo, apenas pelo poder de sua Palavra [Gênesis 1], um Deus tão infinito que o mundo não é uma laranja em sua palma, mas um simplório grão de areia, um Deus tão incomum que por maior que seja o compendio vocábulo de alguém, não haverão palavras suficientes para falar desse Deus - a única que encontrei e que O descreve em sua magnitude incomparável é "Incomparável", pois quem é como nosso Deus? [Salmos 77.13 e 113.5 ] Palavra essa que carrego em meu nome, pois o significado do hebreu para Misael ou Miguel é exatamente "Quem é como Elohin?", ou seja, "Deus é incomparável!"

As afrontas, dificuldades e fraquezas surgem e sempre hão de surgir, pois são elas que nos impedem de gloriar-mo-nos em nós mesmos, são elas que nos fazem erguer os olhos para os montes de onde vem nosso pronto socorro, do Deus que habita o Céu dos céus. [Salmos 121.1 e 123.1] São esses dificultosos momentos que nos fazem jogar-nos nas garras da graça e que nos lancemos ao pó reconhecendo o quão miseravelmente necessitamos de Deus em nossas vidas.

Com que lancemos de nós - e sobre ele - o nosso eu, em que reconhecemos a nossa total dependência de vaso que necessita do oleiro para moldá-lo segundo sua vontade e bem querer [Jeremias 18.1-6]. Os espinhos na carne surgem para que não exaltemos a nós mesmos dizendo que foi nossa mão que alcançou o que temos e nos era necessário, este espinho que tanta dor nos traz, produz um peso de glória - como Paulo disse "a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente" [II Coríntios 4:17] e olha que ao dizer isso havia sofrido perseguições, açoites - 45 certa vez-, prisões, havia passado por perigo no mar, deserto, ladrões [II Coríntios 11.23-33] e mesmo assim pode dizer que tudo não passara de leve e momentânea tribulação com peso de glória.

Essas adversidade surgem para nos lembrar a pequenez que possuímos diante do Criado de todas as coisas, somos tão frágeis que apenas uma bala "achada" nos pode deter, ou mesmo um mísero mosquito ou ainda um atômico vírus, sem falar sobre nossa psique que, inda mais, é um campo minado. São estes momentos de fraquezas que Deus vai nos aperfeiçoando e em nós seu Poder, pois só quando a argila está bem amassada é que servira para se fazer o vaso.

É na necessidade que temos o momento, que muitas vezes não surgem, a oportunidade de buscar a Deus com as forças que Ele nos proporciona, de nos enchermos de sua doce Presença que acalma toda tempestade [Mateus 8.23-27], são esses momentos de fraquezas que nos tornam forte, neles que descobrimos a real força que temos em Cristo Jesus, já que com ele somos mais que vencedores [Romanos 8.36-39]. Esses tão preciosos momentos é que nos fazem crescer e acrescentam uma maior intimidade com Deus, por isso, a despeito de todas dificuldades devemos entregar nossos caminhos ao Senhor [Salmo 37.5], confiando em todo tempo e situação que Ele é fiel e poderosíssimo para nos livrar e salvar os que perseguem.

Quando nossa pequenez se evidência, a glória de Deus é exaltada - por isso João Batista disse com muita particularidade que era "necessário que Ele cresça e que eu diminua." [João 3.30] em si mesmo. 'Que possamos de boa vontade nos gloriar nas fraquezas, nos habite o poder de Cristo e assim sintamos prazer nas fraquezas, injúrias, necessidades, perseguições, angústias por amor de Cristo. Pois quando estamos fraco, em Deus, somos fortes.

Comentários

  1. Muito bom Zal, adorei a postagem, que a minha pequenez esteja sempre em evidência. Pra que Cristo possa trabalhar em mim.
    Um abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

¿Se você gostou está esperando o que pra comentar?
¡Comente este artigo que acabou de ler, agora mesmo!

Comentar faz toda diferença, pois sinto o feedback das pessoas pra quem faço o blog com tanto carinho e isso me motiva a escrever cada vez mais. Você não tem ideia da diferença que faz um comentário.

¡Atenção!
» Todos os comentários são moderados e liberados apenas depois de analisados;
» Não há problemas com críticas, desde que você saiba se expressar;
» Evite palavrões ou palavras de baixo calão;
» Escreva o mais correto possível;
» É proibido escrever todo texto com caixa-alta ou em maiúsculo.

Quer entrar em contato ou tirar alguma dúvida? Então acesse o Formulário de Contato

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim