Fim do Orkut? - Google e suas competências III

Numa continuação aos antigos posts Google e suas competências Volume I e Volume II quero estender o que já havia iniciado, minhas criticas ao que já foi a maior potência em redes sociais criada em 24 de janeiro de 2004 pelo engenheiro Orkut Büyükkokten para ajudar seus membros a conhecer pessoas e manter relacionamentos - o Orkut.

Após ter atingido o ápice como maior rede de relacionamentos virtual esqueceu-se que a tão mutável webcommunity não para e, assim como a própria web que renova-se a cada três meses, nós geeks ou nubies também mudamos de gosto facilmente e assim esqueceu de aprimorar-se.

A Google acabou tomada pela síndrome do balão inflavél, por maior e bem cheia que a bola seja com o tempo se ela não murcha, acaba por estourar, e para estar com a bola toda precisa usar outras bolas para que se não perca a altitude já alcançada.




De 2004 pra cá fizeram apenas duas poucas mudanças na interface do site, a última aconteceu em 29 de outubro de 2009 e é chamada de Novo Orkut, que no final das contas não passou de outra sindrome, no caso que sempre atinge a propaganda e publicidade, a do sino gigante - que apenas faz um imenso barulho, mas que não tem anda pra oferecer, uma ótima jogada de marcheting que tem-se mostrado não muito útil no que resta inda de sobrevida do mesmo.

Algo que poderiam ter saído na frente seria ter agregado o serviço de Feeds que já existia naquele tempo, como não aproveitaram a  chance o Facebook o fez, passando de uma simples socialnet para um excelente leitor de atualização, porém nada justifica até hoje não terem agregado o RRS. Não apenas uma simples ferramentas de feeds apenas para conexão com blogs e site de notícias, que aliás, era mais um gadget do que um agregador.

Com um layout complicado cheio de botões que nunca são usados, várias páginas - vídeos, scrap, fotos - que podem ser visualizadas em apenas uma, como sua home page ou o perfil do contato,  essa interface vive dando problema e como seu javascript ou AJAX não funcionam corretamente acabamos por ter que atualizar a página não muito tempo depois de estar logados.

O que se pode dizer do Novo Orkut é que é uma velha interface enfeitada, exatamente o que fazemos com aquela árvore antiga de natal que temos há alguns, muitos, anos que até está sem um ramo, mas por ter custado caro na época é-se usada anos após ano e que fica com cara de nova devido aos novos enfeites que compramos todo ano. A cara é de nova, mas o verde já amarelado, o pó e os ramos que faltam denunciam a máscara dos enfeites.

Poderiam seguir o lema do Google Search "interface limpa, intuitiva e eficaz", mas infelizmente o que temos é uma página complexa e cheia de emaranhados - literalmente um bastidor, onde os defeitos são ocultados vendo-se apenas a beleza ofuscante - que não servem pra nada e, além de não possuir Feed externo pra redes como o Facebook, Twitter e Flickr, também não há como exportar os Feeds do Orkut até mesmo para o Google Buzz.

Já foi o tempo em que as pessoas queriam fazer parte de uma "rede secreta" a moda agora é expor-se e quanto mais, melhor, o que queremos é estar numa rede aberta a todos, mas que permita o mínimo de privacidade.

Não dou mais que quatro anos para o Orkut morrer de vez, pois os brasileiros e indianos que invadiram o Orkut - na Índia já está em segunda posição - tem descoberto, assim como eu, as delicias de participar de uma rede que te permite não só encontrar várias pessoas, como mostrar e saber todas webactivities, compartilhadas através de Feeds - o que facilita e muito nossas vidas, só o fato de você não ter que ir atrás do que te interessa, mas as novidades virem até você já conta e muito na diminuição do trabalho que seria gasto com os vários contatos e redes as quais pertencemos, Feeds equivalem a invenção do serviço de entrega por telefone, comodo, simples e prático - sem o qual você atualmente não consegue viver.

Acorda Google!





Ósculos e amplexes,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim