Início da vida

Deus criou o homem do pó, soprando-o deu-lhe vida, um coração e movimento, conforme seu parecer, tornando-o sua imagem. E ficou muito feliz de ter-lhe feito.

Mostrou-lhe suas maravilhas: o sol que reluz seu brilho para clarear, a flor tão suave e perfumada, a árvore tão grande e frutuosa que serve pra lhe saciar a fome, os belos pássaros a voar pela imensidão do céu e o como não poderia deixar de ser o Homem contemplava tudo maravilhado pela imensidão de coisas belas que seu Criador havia feito. Mas Deus ainda mostrou-lhe as águas onde Seu espírito repousava e lhe disse “Daqui sempre beberás quando de mim quiseres se encher”. O Homem apenas assistia e sentia a tudo, maravilhado e perplexo com a imensidão de Deus.




Até que veio a Soberba e mostrou-se brilhante e ele pode ver sua imagem e quanto era perfeito, o Homem gostou de conhecer isso, disse-lhe ainda que deveria aproveitar a vida para si, o que fez envolver-se em si mesmo. Deus, apenas tudo contemplava, esperando que o Homem saindo da ilusão se voltasse a Ele, mas sua soberba muito grande empurrou a Deus, deixando-o de lado “Ainda é muito sedo preciso aproveitar minha vida.”.

E assim foi rumando, até que o Dinheiro chegou e fez-se desejado desde então, cegando-o de vez e como um animal o homem o perseguia-o loucamente. É então que já frustrado pelo ter e não ter ao mesmo tempo, que o homem abaixa-se olha o chão em busca de encontrar algo, algo que lhe falta, lembra-se da água e busca-a sem sucesso pelo chão, até que ao erguer os olhos vê o Alcool a sua frente tão brilhante e reluzente, parece-lhe aquela primeira luz que havia contemplado outrora, mas já faz tanto tempo que não há mais lembranças concretas. Entretanto ela mostra-se tão amigável e acolhedora “Quem sabe não poderá me preencher?” e assim afoga-se totalmente em suas idéias, para ter os prazeres da vida que agora já lhe parecem extremamente bons o Alccol e a Droga. Mas isso ainda não é o bastante “Preciso de mais!” Aí conhece a sensualidade, que lhe envolve a cabeça e o possui, que lhe faz detupar-se no sexo.

Mesmo depois de tudo, em sua vida ainda não havia sentido. Então vem a Morte a sua mente e lhe sugere sua ‘libertação’, pega uma faca e em vão tenta suicidar-se, mas morrer não é tão fácil assim “Vermes não morrem rapidamente”, em agonia começa a perceber o que está a fazer e rapidamente tenta sair dessa condição, porém já é muito tarde, tarde para voltar, voltar aonde caiu, mesmo tentando mudar e sair daquela vida pega uma arma e já sem forças mira-lhe a cabeça “É, agora não vai ter mais volta, é isso que mereço por tudo que fiz, devo pagar por todos meus erros!” E quando está prestes a puxar o gatilho lembra-se de Deus que o chama e atrai-o para Si. Então correndo larga tudo o que conquistou para lançar-se em Seus braços de amor que estão a lhe chamar.

Porém não é tão fácil assim, pois terá que lutar com todas suas forças contra tudo e todos que não acreditam que ele possa mudar e o pior: contra si mesmo. E a guerra permanece cada vez mais difícil, já que ele afundou-se naquilo que lhe dava prazer e por mais que lute com todas forças que há em si, já não consegue vencer-se.

A luta permanece árdua e tremenda até que depois de tanto cair, perder, machucar-se, ser lançada no chão e já sem nenhuma força lembra-se de uma última coisa e ali prostrado, no chão, não há outra opção se não dizer com a voz falha “Deus me ajude!”.

Então, Deus entra em cena e enquanto o Homem lançado ao chão pede perdão por todos erros seus, Deus o defende e guerreia contra todos principados e potestades que afligiam sua criação, até que lança por terra todos Seus inimigos.

E erguendo-o pela mão, limpa-lho com Seu sangue e o redime, tomando-o pra Si, agora ele já não é apenas criatura Sua, mas filho Seu. Agora o Homem está livre para poder sentir a vida, a vida que o Pai lhe deu e desfrutá-la eternamente livre ao lado Seu.




Ósculos e amplexes,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim