Problemas com perfil fake 8 [O mistério de Feiurinho]

No ar Tonny sentiu o aroma de uma fragrância conhecida, traga pelo vento bombeado pelo ar-condicionado, virando o dorso para ver quem era, observou que quem entrava com as P!nk Croux era uma femme fatale, a única coisa que parecia "revelar" sobre si era seu perfume in natura.

A garota de cabelos curtos tinha um corte que valorizava seu rosto com um desalinho destacando os cachos, unhas azul bebe com pequenas nuvens brancas desenhadas, algumas pulseironas amarelas num dos braços, um casaquinho branco de lã, blusinha verde com bolinhas brancas bem decotada que a deixava ainda mais sexy, um colar grande vintage, short boyfriend que destacava suas belas e bem torneadas coxas e batatas e completando o visual uma gladiadora lhe calçava os pés. Como se não fosse suficiente seu estilo pin up usava um big óculos com haste branca e lábios escarlates.

Uma verdadeira musa, inspirava paixão em cada passo, fazendo os garotos terem nirvana, a beleza era ainda mais realçada quando o vento soprava sobre si, fazendo as madeixas esvoaçarem ao seu rebelde expirar. Ela não andava, literalmente, desfilava, parecia um manequim saído da Vogue, com a diferença que aquela modelo era real e fazia os sentidos dos garotos despertarem, a vontade era de tocá-la, terem-na para si.

Sua postura era de que conhece o poder de sua sensualidade e sabe bem como usá-lo, com uma pitada de arrogância - o que evidenciava uma verdadeira P!nk Croux - enquanto desfilava o tempo parecia parado e o corredor da sala que antes parecia tão pequeno para eles apostarem corrida e fugirem uns dos outros enquanto estavam com suas brincadeiras de macho, naquele momento pareceu uma extensa passarela e ela seguiu empinada até que, pra tristeza de todos seu passar teve um fim, o que gerou um imenso "ah" de decepção, já que os garotos prestavam atenção em seu passar marcante. Sentou-se depois de ter desfilado até seu local e arrastado não apenas o olhar embasbacado de todos garotos como também seus troncos, teve também sobre si a atenção das demais garotas que lhe fitavam com certo ar de inveja, cruzando as pernas tirou o óculos e mordeu uma de suas hastes e, no mesmo instante que retirou-os, todos os garotos começaram a bater palmas e ovacioná-la, todos estavam abismados ao constatar o quanto o conto do Patinho Feio podia ser, e era, real.

- Então garotos gostaram da transformação? - Katy disse sentindo o veneno espargido sobre Tonny que mal pode entrar na sala, ficou apenas observando de onde estava congelado com o que via dante dos olhos, via, mas sem conseguir acreditar no que sua turva visão permitia enxergar, até que foi-se embora.

Tonny ainda sentia-se zonzo pela visão que tivera, nunca imaginou que Jessy pudesse mudar tanto e de uma maneira tão radical assim, na hora em que tirara os óculos sendo reconhecida por todos, sentiu que o pouco colorido que sua vida readquirira não apenas tornara-se P&B, mas um negativo, tudo estava invertido, sentia-se um daltônico sem poder ter noção de que cor lhe envolvia, já que todas pareciam vermelhas  intenso feito plaquetas, era isso, só poderia ser vermelho de vingança. Aos poucos após a humilhação daquele dia, havia decidido seguir seu rumo, sua vida, não fora fácil, mas tinha conseguido, havia parado de se atormentar pelo erro cometido, afinal, todos pecamos, apenas Deus é perfeito.


Porém quando a viu novamente, mudada e com um jeito que demonstrava soberba em todos movimentos, sentiu-se mal, pior do que imaginara que um dia esse reencontro resultaria. Não se sentindo bem até mesmo para dirigir ligou para seu chofer e pediu para buscá-lo na escola e assim, novamente fugiu, não sem ter coragem para enfrentar seus problemas, mas sem o mínimo de forças, pois o que tinha usara para tentar apagá-la vez por todas de suas lembranças, tentar esquecer o grande erro que cometera graças a suas escolhas. Não tinha guardado mágoa para não apodrecer o coração, havia perdoado, o que lhe permitia lembrar-se - mesmo que tentasse não fazê-lo - sem mágoa. Mas quando você depara-se a adversidade, vê que fácil é pensar, agir, é muito mais complexo - e assim caem por terra tantas planos idealizadamente perfeitos.

Tonny tentou aparentar ser o mais natural possível conforme os dias iam passando-se, mas havia perdido por completo o cuidado com a aparência, já não parecia aquele charmoso garoto que arrancara suspiros e mais suspiros de todas garotas da escola, era alguém medíocre, o que distinguia-lhe eram as ótimas notas e a excelente aptidão para o esporte, de resto era apenas mais um revoltado que comandava o ¡BØB! deixando os professores doidos.

Desde a primeira vez que Jessy revera Tonny admirou-se de quão fundo no posso da apatia havia descido, parecia um mendigo que tinha dinheiro, mas que não sabia como usá-lo, "de que serve o dinheiro para o ignorante, mesmo que compre inteligência não saberá como usá-la" - assim definiam-no o P!nk Croux - ele realmente estava muito diferente. Ela pensou que seria difícil o reencontro, mas com as dicas que Katy e as amigas haviam dado, sentira-se o recheio do Passatempo e com seu desprezo e orgulho conseguiu superar esse conturbado momento.

Divertia-se com as garotas enquanto analisavam a lista dos maiores gatinhos da escola que estavam a fim de ficar com ela, aquilo era mesmo muito divertido, como não experimentara isso antes? Observa a lista que aumentava ainda mais, todos queriam sangue fresco e ela estava disposta a dar o pescoço para ser mordido, quem sabe não encontrasse seu Edward. Enquanto faziam as escolhas, notava Tonny disfarçadamente atentando ao que transavam, o que lhe tentava a soltar algumas diretas onde ressaltava as qualidades dos garotos listados para rebaixá-lo, no refeitório ele também não conseguia ficar sossegado, pois elas sempre tinham o prazer de infernizá-lo.

Certa vez estava conversando com os demais garotos, sobre um dos temas mais inéditos numa conversa masculina: futebol, conversavam distraidamente, rindo um dos comentários do outro, ele pediu atenção para comentar do Palmeiras quando sentiu algo molhado em seu cabelo que escorreu pela cabeça indo direto para os olhos, boca e espalhando-se por toda roupa, o susto foi perceptível.
- Você está ficando louca garota? - Perguntou afoitamente enquanto limpava com a mão o rosto.
-  Me desculpe, foi sem querer. - Ela dizia com sua característica ironia. - Eu estava passando com minha bandeja atrás de você quando escorreguei e caí e o resto você já entendeu.
- Você fez isso de propósito isso sim!
- Se você não quiser acreditar, tudo bem. - Fez cara de descaso. - Se bem que isso fará diferença alguma, já que você nunca está arrumado e ainda por cima tem um odor muito desagradável, talvez com esse leite você melhore. - Enquanto dizia passou o dedo pelo rosto dele e o limpou em seu paletó, não conseguindo mais se controlar começou a gargalhar de sua cara.
Tonny perdeu a paciência e foi para cima dela, nessa hora o inspetor interrompeu e como todos estavam de testemunha que ela havia-lhe esbarrado teve de engolir seco e se retirar, enquanto saía do refeitório para trocar-se a viu batendo na palma de Fridda e ela lhe dizer "1 a 0".
- Correção, esse valeu por dois!
- É você tem razão! - Fridda concordou enquanto todas riam, o P!nk Croux segui a filosofia "Tocou em uma, a dor virá por todos os lados".

- Professora tem algum fazendeiro aqui?
- Não entendi sua pergunta Katy, o que isso tem a ver com a aula de química?
- É que alguém está com um odor horrível de vaca e vaca estragada! - Seu olhar irônico estava direcionado para Tonny.
Toda a sala começou a rir, mas a professora os fez calar dizendo que não estavam num circo, ela viu quando Katy bateu na mão das demais enquanto dizia "3  a 0", quando Tonny cheirou-se só então percebeu que o leite que ela havia jogado em si estaria azedo, na hora a surpresa e raiva foram maiores que nem dera-se conta, só agora notara que o cheiro, e como fedia, lhe havia sido impregnado na pele, talvez por isso que o pessoal estivesse um pouco afastado de si, agora entendera o porquê.

Ao terminar a aula a professora foi falar com Tonny e lhe disse para não fazer nada, pois já tinha percebido a forma como o P!nk Croux lhe tratava e ficara sabendo do incidente no refeitório e temendo que perdesse a paciência resolvera lhe aconselhar.
- Não se preocupe professora, eu não bato em mulher. E com uma pessoa do nível dela não preciso fazer nada, mas pode ter certeza que a hora dela vai chegar.
- O que você quer dizer com isso Tonny? - Rose ainda estava pouco confiante em suas palavras.
- Nada demais, teacher.

Depois de alguns dias analisando o datafile que possuía todas informações dos garoto, inclusive o tipo sanguíneo, várias fotos e os perfis de redes sociais dos pretendente no Libretto W100 decidiram quem seria o primeiro felizardo - e também a sequência da fila, já que estava na pista para negócios - a dar-lhe o primeiro beijo, era BV por ter esperado muito tempo seu príncipe - coisas de mulher mesmo, vai entender o complexo de Cinderela! Não fora fácil a escolha, mas depois de algum tempo, finalmente, conseguiram encontrar um pretendente a altura, haviam decidido que o sortudo seria Jacke, o capitão do time de futebol da escola que por "mera coincidência do acaso" era justamente um dos mais chegados de Tonny.
- Tem certeza que ele é uma boa opção Katy? Estou um pouco nervosa...
- O que é isso queridinha? Agora você é uma de nós, deixe o medo para os fracassados e não se preocupe que o Jacke beija muito bem, não é meninas?
- Ôooo!
Jessy ficou meio surpresa, mas Katy lhe acalmou dizendo que ele havia passado no teste de qualidade.
- Então ele já ficou com todas vocês? - Ainda espantada.
- Sim, quando o cara é muito bom a gente partilha ele, mas não se preocupe caso não saiba o que fazer, quando ele se aproximar bastante de você é só fechar os olhos e se aproximar pra que seus lábios se encontrem, depois basta procurar pela língua dele e deixar que ele conduza todo resto, você vai gostar. - Ela apontou para si. - E antes que você me pergunte, você saberá a hora certa, vai sentir a química rolando. Ele tem um corpão, umas pernas e uma bundinha que ai...ai... - Disse abanando-se. - Essas são as recompensas de ficar com um jogador de futebol.
Todas começaram a rir numa cumplicidade de garotas.

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim