A porta do pecado - Final

Siquém ficou maravilhado por terem exigido apenas a circuncisão e foi avisar a todos homens que passavam a porta da cidade e os convenceu dizendo que toda riqueza de Israel também seria deles, caso se tornassem um só povo, todos acharam boas as palavras do príncipe e acataram a ideia – o interesse geral era apenas obter lucros e não fazer um pacto de aliança com o Deus de Israel. Porém, no terceiro dia, enquanto os homens ainda se recuperavam da cirurgia e estavam incapacitados de lutar, Simeão e Levi mataram a todos [Genesis 34.18-26].

Uma cirurgia postectomia (exérese do prepúcio ou peritomia) dura em torno de 30 a 60 minutos, onde é removida a porção prepucial aderida à glande ou estreitada – ou o excesso de prepúcio, quando indicado – e após 24 ou 48 horas o penso é removido. Para que não ajam complicações, faz-se necessário repouso relativo durante 1 a 3 dias, mas isso atualmente onde há ferramentas especificas e anestesia – já que é um local extremamente sensível – diferente de antigamente, o processo era rudimentar e ainda que usassem alguma erva com efeito anestésico ela não podia ser tão eficaz, já que agia apenas externamente, por isso o tempo de repouso era maior, tanto, que no terceiro os homens ainda se reestabeleciam, não podendo resistir a violência de apenas dois rapazes [Genesis 34.25-26].



Tudo isso aconteceu porque Diná estava vendo as mulheres da terra [Genesis 34.1], ela nem tinha chegado a corromper-se com elas, parara apenas a admirar o movimento, mas foi exatamente aí que abriu brecha para que o inimigo lhe desse uma rasteira, levando embora sua honra, inocência, pureza e ainda foi humilhada.

Pecado (em hebraico “hhatá”, em grego “hamartáno” ou em latim “peccátu”) deriva do termo da prática do arqueiro, no sentido de errar ou não atingir um alvo, ideal ou padrão, pecado, portanto é erro. Toda vez que erramos o alvo [Filipenses 3.14] que é Cristo, quando não fazemos sua vontade [João 6.39] e nos entregamos as paixões da carne como, adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, falsidades, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas [Gálatas 5.19-21] que não apenas afastam de Deus, mas também geram a morte [Tiago 1.15].

Porém, o pecado antes de ser concebido entra em nossas vidas por uma das cinco portas, a sua entrada principal dá-se pela porta da visão, é ela que nos permite olhar as coisas e depois de vistas vem o desejo e consigo a ação que gera a morte espiritual e eterna.

Siquém era o mais honrado da casa de seu pai e mesmo assim não resistiu ao que seus olhos viram e acabou por cometer a atrocidade de abusar de uma menina. Suas ações faz-nos lembrar de outro personagem real que acabou por cometer o mesmo erro de olhar o que não deveria e as consequências foram gravíssimas, como uma família totalmente desestruturada e a morte de seu filho.

Certo dia ao invés de estar lutando, no tempo que era costume os demais reis irem à guerra, Davi, ficou no palácio e quando passeava no terraço, viu Bate-Seba que se banhava no rio, seus olhos a desejaram, ele a mandou trazer a si e ela acabou engravidando do rei, para tentar ocultar seu erro, mandou chamar seu esposo, Urias, que estava em meio à guerra para que se deitasse com ela e poder ficar como pai da criança, mas por ser integro se recusou a dormir com a esposa enquanto a Arca de Deus e os outros soldados habitavam em tendas, como Davi viu que não daria certo tentar acobertar seu adultério, pois Urias dormia em frente a porta do palácio real, ele mandou-o com uma carta a Joabe, onde constava sua sentença de morte, para que ficasse na linha de frente da batalha e assim encobriu seu erro, após a morte certa de Urias e passasdo o luto de Bate-Seba a tomou por mulher [II Samuel 11].

Nossos olhos são as janelas da alma, por onde nosso coração espreita o que é desejável, se eles forem bons todo corpo será iluminado, se não grandes trevas haverá dentro dele [Mateus 6.22], são eles que nos fazem prosseguir para o alvo [Filipenses 3.14]. O pecado entra em nossas vidas pelos olhos, por isso devemos mantê-los fixos em Deus, a direção de nosso olhar diz se vamos ou não vencer, se um arqueiro quiser acertar seu alvo, ele deve manter o foco, sem olhar para direita ou esquerda [Josué 1.7], se por algum momento ele desviar a visão acabara por errar o alvo.

Por isso Davi declara que eleva os olhos para os montes, para os céus, pois é do Eterno que o socorro vem [Salmos 121.1], a partir do momento que desviamos nossos olhos do alto, ficamos sujeitos a ver toda sorte de maldades que no mundo há, devemos manter nossos olhos em Jesus.

O décimo mandamento era para não cobiçar (grego pleonexia de pleon echein, ter mais, sede de possuir sempre mais sem se preocupar dos outros e até à sua custa) nada do próximo [Êxodo 20:17], mas até a vinda Jesus era considerado pecado apenas a prática do adultério, porém Ele disse que o que observasse para a cobiça, já havia cometido pecado [Mateus 5.27-29]. As vezes achamos que dar uma olhadinha não faz mal, mas foi exatamente o que pensou Diná e acabou desonrada [Genesis 34.1], também a esposa de Ló que acabou por virar estátua de sal [Gênesis 19.26], é exatamente essa olhadinha que nos tira o foco de Cristo e abre a porta para o pecado entrar em nossas vidas.

Precisamos ter nossos olhos voltados para Cristo, para que nossa mente esteja cheia das coisas que de cima são e não as terrenas [Colossenses 3.2] e assim, além de desviarmos nossa visão do pecado, estaremos fortalecidos contra as dificuldades que se levantarem e com o coração cheio do amor do Eterno [Lucas 6:45] para anunciá-lo as demais pessoas.

Fontes
Wikipédia → Cartas de Amarna - Circuncisão - Diná - Siquém

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim