Problemas com perfil fake 26 [O mistério de Feiurinho]

- Hey, guys. Esperem aí!
- Não acredito! Você não ia mudar de escola? – Jack espantou.
- Não estava tudo certo? – And corroborou.
- Pois é, mas depois de ontem percebi que era apenas uma fase e que meu lugar é aqui mesmo, onde as meninas me idolatram...
- Não tem jeito mesmo, o Vicky é movido a mina! – Disse Tonny.
- E tem coisa melhor que mulher?
- Creio que não... Mas de repente... Tem Tonny? – And alfinetou.
- Como assim? Smirnoff... – Tonny disse sem entender muito bem a intenção da pergunta.
- Esquece ele Tonny! Mas, e aí? Quer dizer, então, que elas que foram motivo de sua sumida?  – Jacke mudou de assunto, afinal queria saber como tinha sido.
- Claro que sim, mas no começo...


Vicky contou-lhes que seguia logo atrás do BØB, aproveitando o ambiente e relembrando de sua infância com o vô, até ouvir sons estranhos na moita, parou para ver o que era e donde vinha, quando ouviu alguém lhe chamando. Ficou surpreso ao saber que era uma mina, aquela visão o deixou tão contente que já nem lembrava mais quem fora a garota – também, agora isso já não fazia a menor importância. O que contava pra ele era apenas que alguma freak mommyInformationFreak mommy Ing gir. Gatinha. tinha quebrado o jejum e todas as outras percebendo que ficavam pra trás fizeram o mesmo. Findou-se, assim, a greve de Vicky, as garotas saíram vingadas umas das outras – não existe bixo mais orgulhoso que mulher. Cada uma pedia que não contasse pra ninguém, mas todas sabiam o que acontecia, por isso estavam tão eriçadas e Vicky ficou energizado depois de tanta making outInformationMaking outGir. ing. Pegação, agora ele estava novamente na pista pra todo tipo de negociação, ao contrário do restante do mundo, que vinha sofrendo com a recessão da crise, suas ações na bolsa estavam bem valorizadas, ainda mais que anteriormente.

- Sabem guys, acho que tudo isso que eu passei valeu a pena... – Disse abraçando os dudesInformationDudesIng. gir. Caras ao que repudiaram-no.
- Tudo que você passou? E a gente? – And revoltou-se.
- Cara egoísta, você, heim?! – Daves fez questão de reforçar.
- Caras eu não tenho culpa que o dia de vocês não foi muito legal, porque o meu, hum...
- Claro que não, a culpa foi toda do Tonny! – And deixou bem claro.
- É verdade... Como assim? – Tonny concordou plenamente até cair a ficha.
- E o que aconteceu que vocês estão todo lascados?


A caminhada que o BØB trilhou, longa foi, mas mostrou-se recompensadora quando avistaram o rio Cotia, todos estavam exaustos, o sol cálido já lhes tinha embebecido de muito suor para que pensassem uma vez que fosse antes de lançarem-se nas graças daquele maravilhoso rio. And já estava sem camiseta pronto pra tirar a calça também e dar um bom mergulho, quando Tonny percebeu que Vicky havia sumido, fez então que todos desistissem de cair na água pra ir atrás da ovelha perdida. E lá foram todos a contra-gosto, mas segurando suas camisetas na esperança de que em breve voltassem a ver aquela água tão convidativa.

O sol parecia realmente animado com algo, pois estava todo aceso, queimava seus coros sem dó ou piedade – será que ele fazia idéia do que era isso? –, eles entenderam como se sentia carne de sol, se tivessem se banhado no mar não haveria a menor diferença entre eles e o jabá. Andaram igual condenados, sem rumo, procurando Vicky pra tudo que é lado, cada vez mais adentrando o matagal, acabaram por se perder e descobriram que estavam sem sinal 3G, ou seja, nada de conexão pra usar o AGPS, apesar da tecnologia utilizar satélite para triangular a localização, o pacote de dados necessitava de uma conexão de telefonia e, assim, viram-se perdidos e sem comunicação com o mundo sociável, apenas com o verde a perder de vista – eles nunca se sentiram tão ligados a natureza, pra não dizer desconectados com o resto do mundo habitável, o sentimento era de status offlifeInformationOfflifeIng. Desligado da vida, no caso desconectado da vida social..

Após muito andarem, ao menos adquiriram um bronze legal, embora a ardência do sol o fosse nem um pouco. Conseguiram, por fim, encontrar um lago, que piscava pra eles, tal o poder sedutor daquelas águas sobre os guys, que nem chegaram a ver o aviso na barragem e trataram de se esbaldar, matando a sede do corpo e alma – aquilo era bom demais, um presentão às castanhas após torrarem sob o sol nordestino.
- E aí? Vocês vão continuar procurando aquele offlifeInformationOfflifeIng. Desligado da vida, no caso desconectado da vida social. ou vão aproveitar um pouco e depois tentar encontrar o caminho de volta? – Foi tirando a roupa, deu um mortal incrivel e caiu numa água geladinha que refrescou todo o corpo desnudo.

- Vocês vão ficar de frescura aí ou vão pular de uma vez? Lembrem-se que a gente está em maior número, não tem perigo nenhum...
eles se entreolharam, olharam pra Tonny e viram que ele já estava nu, pronto pra mergulhar.
- Falou aí seus perdedores...
Tchbum!
Não aguentando mais a sedução daquela água, tão docemente atraente, arrancaram as fadadas peças de roupa que ainda os possuía e jogaram-se de uma vez por todas no lago.

- A água estava realmente perfeita, uma delícia só... – Jacke comemorou.
- A gente até esqueceu todo trabalho que teve pra tentar te encontrar. – And não deixou escapar a chance de jogar na cara de Vicky.
- Tudo bem, mas não entendi a parte das feridas, vocês narraram em momento algum terem caído num vale ou despenhadeiro, lutado com algum neandertal, fera jurássica, uma besta selvagem ou o equivalente.
- É chapa, mas lembra daquela plaquinha que a gente ignorou? – And colocou sua mão pesadamento no ombro de Vicky.
- Hum... e daí?
- A água estava cheia de sangue-suga!

- Só na hora de sair! A água estava tão boa que enquanto a gente nadava não deu para notar nada. Na verdade quando o Daves saiu, a gente estava zuando a bundinha branca dele, quando vimos uma coisa preta e o And começou a aloprar, ele não acreditou e quando passou a mão entrou em desespero.
- Eu fui tirar, mas ele ficou cheio de receio, não sei porque, como se eu quisesse fazer algo com essa bunda branca aí! – And desdenhou.
- Branca, mas as minas pagam pal!
- Ah, vá! Só porque é empinadinha, se elas vissem essa brancura... – And começou a gargalhar.
- Vamos parar crianças! – Tonny cortou a graça.
- Mas e aí, como se livraram dos bichos?
- Então, quando eu cheguei perto que percebi o que era, a gente então saiu desesperado da água, mas já era tarde, todos tínhamos sido atacados por essas coisas do mal. O jeito foi a gente usar isqueiro que o Daves tinha levado e queimou os bichos, mas quem mais sofreu com a brincadeira foi o Jacke... – Brent resolveu parar ante a sensibilidade do assunto.
- Prefiro que a gente termine por aqui mesmo, maldita coceira que eu estava sentindo, acho que vou ter que ficar alguns dias fora da pista.
- Ninguém teve coragem de ajudar ele nessa situação, a não ser o Tonny. – Daves lembrou.
- E se não fosse por ele, nem sei mais se poderia ter filhos algum dia... Ai!

Depois de terem se livrado de todas sangue-sugas é que pegaram as roupas, foi quando viram que as tinham jogado em cima de um formigueiro de saúvas, quando conseguiram afogar a maioria e retirar as mais teimosas, restou ainda algumas ferroadas, por fim colocaram a roupa encharcada e seguiram na mata até finalmente encontrar Vicky, o CasanovaInformationCasanovaSedutor. Como adjetivo veio de Giovanni Giacomo Casanova de Seingalt (1725-1798) que teve uma vida cheia de aventuras, muitas amorosas - ninguém sabe a quantidade de mulheres que seduziu de todas as esferas. Ele era soldado, cortesão, intrigante, financeira, diplomática, escritor e mason. Viajou por toda a Europa, ao retornar para a Itália foi preso em Veneza Piombi acusado de magia e maldade..
- Cara, parece que a aventura selvagem de vocês foi muito mais interessante, se vocês tivessem filmado dava até pra vender pra algum canal televisivo, como o Discovery Chanel. – E desatinou a rir.
- Sei, mais interessante que catar um monte de minas!? – O olhar de And era furesco.
- Então... – E começou a rir com seu sorriso sacana.
- E por falar em sangue-suga e o Mouki? – And lembrou.
- Poxa fagmaster, também não precisa falar do carinha assim, ele é muito firmeza. – Tonny defendeu.
- Eu sei, mas é que ele vivia no nosso pé e de repente sumiu.
- Você tem razão And, o que será que aconteceu com ele? – Jacke preocupou-se.
- Vendo pela perspectiva do And é bem estranho mesmo esse sumiço dele. – Foi a vez de Daves concordar com And, o que o deixou a sentir-se ainda mais recheio da bolacha, ele adorava quando os guys concordavam consigo.

Quando mais estavam compenetrados ouvem um som estridentemente grave sinalizando que a primeira aula havia sido encerrada.
- My Gosh! Estamos lascados, agora que o Carlos não vai deixar a gente entrar de jeito nenhum! – Daves lembrou de quão chato era Carlos, ainda mais quando se tratava do BØB com quem tinha marcação cerrada.
- Calma aí guys, você esqueceram?! Hoje é segunda, temos apenas uma aula dele. – Brent acalmou a galera.
- É verdade, agora vai ser a aula da Rose. – A felicidade na voz de Vicky era latente, já que ela era a professora mais firmeza que conheciam. Às vezes abusavam um pouco, mas só um pouco, porque também ela não era besta.
- Vamos logo então! – Brent disse já a caminho.

- Anthony Evans, favor comparecer a direção! – Ouviram o anúncio pouco depois de entrarem pra aula.
- Putz, cara! O que você aprontou dessa vez Tonny?! – Jack perguntou.
- Nada!
- Até parece! – And desafiou.
- Se fosse assim o diretor não estaria te chamando. – Foi a vez de Allan.
- É sério, palavra de escoteiro, esqueceram que agora estou mais comportado...
- Menos pior!
- Correção Allan, não tão péssimo. – Vicky aproveitou a deixa pra corrigi-lo frente a todos.
O BØB ainda não estava acostumado a ter Allan invadindo seu espaço, apesar do esforço, sentiam-se pouco a vontade principalmente ao destaque que vinha ganhando, fazia pouco tempo que ele entrara para a escola – ainda bem que não havia ido para o passeio! – e tudo era culpa do Kon que resolvera dar pra trás e os abandonara.
- É melhor ir logo Tonny! Você sabe que o Henry não gosta de esperar. – Rose lembrou carinhosamente.
- Oh, sim professora. Obrigado por lembrar! – Disse tendo que cortar as discussões com o BØB para se dirigir de uma vez a uma sentença que nem sabia sobre o que era ou se merecia mesmo tal culpabilidade.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim