O fragrante - Destilando sentimentos [Final]

Enquanto tinha Jannie nos braços seus, Simie experimentava uma completa confusão de sentimentos, como se estivesse sobre sua larga cama de casal separando polaroides de seus melhores momentos, mas, no caso, eram apenas poucas lembranças que pudera guardar da doce menina-mulher que tinha agora junto ao corpo seu. Ela soluçava em seu ombro e ele tocado por uma mistura de surpresa, alegria, desejo e decepção que as lembranças traziam não conseguia fazer nada a não ser apertá-la com ainda mais vigor enquanto sentia o ombro ficar molhado.


Ambos se abraçavam com ardor, não queriam, nem podiam separar-se, quando um apertava o outro apertava ainda mais e assim ficaram sem conseguir soltarem-se, o encontro de coração emanava um calor que tornava o abraço irresistível. Semie sentiu uma química tão forte entre seus corpos que foi tomado por um desejo incomedido de a beijar, chegou a passar a mão por suas madeixas de sol, ele podia sentir que ela desejava o mesmo, mas pela primeira vez em sua vida de conquistas ele exitou, alguma coisa o fez ficar estagnado, não poderia aproveitar-se do momento. Apesar de seus corpos faiscarem um com o contato do outro, fósforo e enxofre - algo absolutamente inflamável que foram postos em locais distintos na cabeça do palito e do lado de fora da caixa com o material abrasivo que ao serem friccionados incendeiam - chama que trouxe luz aos corpos seus, despertando mais que desejo, algo que formava toda sua estrutura, que estava em sua genética.


Enquanto durava aquele abraço, sakura começou a despejar sobre eles suas belas e perfumadas flores, destilando sentimentos, desejos e emoções que o tempo ocultara, Simie sentiu a conspiração para que se encontrassem naquele dia, entendeu porque as canções tocavam ainda mais forte em si que nos outros dias e sentiu a eternidade naquele abraço.

Quando viram sobre si a cuva de flores ambos voltaram a realidade e o tempo que parara voltou a pulsar inda mais forte em seus corações, eles se afastaram aos poucos, Simie ainda sentia as batidas cardíacas de Jannie que ritmavam uma doce melodia através de sua suave pele junto ao seu coração. Os dois permaneceram de mãos dadas olhando aquele espetáculo maravilhoso, as flores choviam exalando um perfume impar, mas que não conseguiam sobrepor-se ao de Simmie que Jannie agora tinha por todo corpo, após tê-lo abraçado com a alma.

Jannie olhou para Simie e viu uma lágrima rolando docemente por seu rosto alvo e perfeito, sem nenhuma marca, mancha ou cicatriz, com sua brancura ardente, macia e lisa, como um pêssego, como ainda recordava, embora não o pudesse ver bem, pois o sol que vinha por detrás de sua nuca a ofuscava, quando ele voltou o olhar pra si e a viu olhando-lhe, algo ainda mais forte os tomou e o inevitável aconteceu, seus lábios se encontraram, seus corações voltaram a soar harmonicamente e suas mãos frias a tocar um a pele macia do outro.

Começou a esfriar, Jannie não sabia dizer se fazia mais frio do lado de fora de sua blusinha de tricô turquesa ou dentro do seu coração, um calafrio que pulsando tomava todo corpo, provavelmente competiam, mas o frio parecia se exaurir naqueles braços rígidos que a mantinham segura, apesar da sensação estranha sentia-se segura de tudo no mundo.

Eles beijaram-se, mas aquilo não foi unicamente instinto, mas também amor, paixão, fogo, desejo, prazer, uma química que cresceu de tal forma, que nem mesmo os lances da vida, enviados pelo tempo, fizeram desencontrar-se. Ouviram algumas festejos e palmas, mas nem se importaram de parar para ver o que acontecia, o que sentiam era muito mais forte.

Todo ano algumas pessoas acompanhavam o desflorar da sakura e naquele dia fora ainda mais especial, pois conseguiram ver o que acontecia ao casal sob sua sombra rosácea, todos ficaram comovidos com a cena e comemoraram quando ambos finalmente se beijaram.

Novamente o vento frio e meio úmido soprou chegando a ser incômodo, mas tomada por seus braços e um beijo que selava o pacto de amor eterno, pelo menos naquele sublime instante, começou a aquecer por dentro, suas faces ficaram inda mais vermelhas. Quando o beijo terminou por falta de fôlego, eles se separaram ofegantes, Simie ficou olhando para Jannie que manteve o olhar baixo, ainda estava assustada com toda aquela enxurrada de sentimentos, para quem não acreditava no amor e também no coração aquilo havia sido um golpe forte demais pregado pelo destino.

Jannie elevou a mão ao coração e sentiu-o tão vivo como nunca, ao erguer os olhos percebeu que Simie a observava com os lábios vermelhos entreabertos, respirando rapidamente, seus olhos se encontraram, os dela mostram nitidamente a mais pura paixão e desejo, sentiu o vento soprar espalhando os cabelos soltos, o sol refletindo nos olhos, a boca úmida e entreaberta suplicando por mais um beijo.
- Também acho uma delícia quando você esquece os olhos diante dos meus. - Disse Simie com uma voz firme, mas suave.
Aquilo foi o suficiente para fazer todo seu corpo estremecer e suas pernas a tirarem dali o mais rápido possível, enquanto as lágrimas, antes amparadas pelo trapézio de Simie, agora livres molhavam o vestido que já estava encharcado de suor devido ao nervosismo e toda ação.

Ela correu sem nem poder olhar pra trás, Simie ainda pediu suavemente para que esperasse, mas também não pode se mover, a viu indo pra cada vez mais longe de si, deixando pra trás, no ar, apenas uma delicada trilha de lágrimas que brilhavam quando o sol passava pelas cristalinas gotas de dor.

Simie ficou parado, parecia perdido no tempo, ainda mais do que de costume, nem percebeu a platéia de curiosos que se formara a certa distância ao derredor, ele simplesmente recolocou os fones e saiu andando com os passos ainda mais pesados que antes.

Jannie sentia-se tão perdida que precisava desabafar com alguém, seu coração estava prestes a explodir, ligou então para Vallery, sua melhor amiga e pediu que viesse vê-la para conversarem. Depois de ouvir o que acontecera, Vallery abriu-lhe os olhos, disse que Simie era pegador, que já tinha ficado com várias, se não todas, meninas da escola de sua prima e que para sua vergonha ela também ficara com ele, quando foi a uma balada que teve na mesma.
- Amiga, foi muito bom ficar com ele...
- É assim que você quer me ajudar, Vallery?
- Desculpe! Só quero dizer que esse é o jeito dele mesmo, faz a gente se sentir super bem, mas depois não quer saber de nada. Não é porque ele fez seu coração e corpo estremecerem que signifique que ele realmente esteja a fim de você. Ele nunca dura com uma mina!

Aquelas palavras entraram como espinho na carne de seu frágil coração, mas ela decidiu acatá-las, pois agora que sabia da existência do coração, sentia o quanto se pode sofrer quando ele dói.
- Amiga, está doendo muito. - Jannie tinha o rosto banhado.
- Eu sei amiga, mas vai passar, é melhor você nunca mais pensar nele. - Jannie lhe olhou com os olhos suplicantes, pedindo para que disse o contrário, mas Vallery foi resoluta e finalizou. - Vai por mim, a melhor coisa que você pode fazer é esquecê-lo de uma vez por todas.

Jannie havia decidido não querer nem mais ouvir falar de Simie, apesar do ardor da entrega de ambos, pensou que ele apenas tivesse aproveitado-se do momento, o que justamente Simie não queria que pensasse, mas o que ele poderia ter feito? Se resistisse sentiria-se um eterno vacilante.

Enquanto Jannie sofria de imensas dores de um amor invasivo que a tomara de vez sem a menor educação, Simie já não sabia o que sentir, apenas que perdera o contato com Jannie de uma vez por todas. Mas mal sabiam eles que a fama do beijo era muito maior do que algumas pessoas aplaudindo naquela praça, pois um fotógrafo que estava perto para registrar as belas flores de sakura caírem, narrara com seu smart todo épico via twitter em tempo real, postando inclusive as fotos, algo que fez tremendo sucesso. Os tuítes receberam RT de vários arrobas, levando a hashtag #lovealive aos trendtopics mundiais, sendo até mesmo traduzido para outros idiomas.

@heyah há uma garota solitariamente distraída no banco, sob a sombra da sakura
@heyah é hoje que ela desflorara, todos estamos ansiosos, o que a garota está fazendo ali?
@heyah ela parece perdida vagando em seus pensamente e mal notou que as flores começaram a cair
@heyah espere, parece que está chegando alguém, um garoto, ainda mais distraído que a moça
@heyah ele ficou parado frente a jovem e a sakura vendo a árvore desflorar
@heyah opa, ele está se aproximando dela. Será que se conhecem?
@heyah ele colocou a mão em seu ombro, mas falou tão baixo que não deu pra ouvir
@heyah parece que não se conhecem ela só ficou olhando-o, ele também está paralisado
@heyah agora ela se levantou, espera, se abraçaram, parece que está tudo bem... #lovealive
@heyah acho que não está tão bem assim não, parece que ele disse algo não muito legal #lovealive
@heyah vejam ela está chorando, alguma coisa errada realmente aconteceu, ele apenas a abraça #lovealive
@heyah estamos apreensivos, a moça continua a chorar, a gente não sabe se faz algo ou não #lovealive
@heyah parece que está tudo certo, ela secou as lágrimas e agora estão de mãos dadas vendo a sakura desflorar #lovealive
@heyah não acredito! Algo que a gente não esperava aconteceu, eles estão se beijando, vejam! #lovealive
@heyah comovidos com as flores caindo sobre o belo casal o pessoal da praça não se conteve e começou a comemorar #lovealive
@heyah lindo, não é sempre que a gente sai pra registrar uma sakura desflorar e ainda tem uma cena tão romântica assim #lovealive

Alguns minutos depois, porém, o fotografo volta a tuítar com certo pesar:
@heyah parece que era perfeito demais, a moça saiu correndo e o rapaz ficou parado #lovealive
@heyah ele balbuciou algo, mas nem ela, nem nós entendemos, ele apenas pôs seus fones e se foi #lovealive



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim