Mais uma estação e logo o outono vem

Se tem uma coisa que sou, e muito, é esquecido! Tenho problema de falta de atenção, as vezes sou desligadissímo, quantas vezes entrei num ônibus onde havia algum conhecido e nem vi-o. Vivo esquecendo tudo, nome das pessoas, onde acabei de colocar as coisas, o que estava fazendo, algo importante a lembrar, coisas que teria de levar, fazer isto ou aquilo e, dentre tantas outras, datas, principalmente as de aniversário e isso não se restringe apenas a dos outros, mas também a minha. Sei, pode parecer estranho, mas já teve ano que nem lembrei que era dia 30 e, consequentemente, meu aniversário, só quando vieram me felicitar.


Talves seja pelo fato de acreditar que não passa de um dia comum, pois de fato importa mais ter chegado até aquela data do que a comemoração de um dia, porque depois que ela passa as pessoas voltam ao normal, se for pra comemorar que seja todos os dias - pela oportunidade que D-s dá a cada novo despertar [Lamentações 3.22-23].

Entendo que as vezes meu esquecimento e distração são um meio de defesa disparados pelo sistema nervoso autonômico, quando não me sinto muito a vontade com algo ou alguma situação, mas no geral vivo mais no mundo das ideias que na realidade, embora tenha aprendido a equilibrar os dois pontos. Porém, quanto mais vivo a realidade, mas sou levado para a extremidade das ideias e de compartilhar minha visão poética da vida, dos acontecimentos, uma vez que a poesia me pegou, não há mais como me curar, sou um poeta crônico.


Sei que as vezes falo como se fosse bem mais experiente e arcaico que possa parecer, mas é que consigo absorver muito de meus erros e das outras pessoas, a demais o fato de me sentir velho, vez ou outra, faz surgir a necessidade de falar mais rebuscadamente.

Na sexta (30/03), por sms, disse a uma amiga, ao me perguntar quantas primaveras estava completando, que parei de contar a alguns anos atrás e desde então estou com 20 anos, não que esteja tão velho assim, pois sempre há tempo para se destacar na vida o que importa mesmo é a intensidade, cara de velho também não tenho, já me deram 17 e olha que foi pessoalmente, sem as mágicas do photoshop. O fato de ter perdido a contagem da idade é que as vezes lembro que o tempo já avançou bastante na minha existencia e ainda não fiz nada que fosse tão impactante, que mudasse o mundo, que tocasse multidões de uma forma especial. Ao mesmo tempo que me sinto velho, sinto-me jovem, acredito ainda não ter amadurecido para certas coisas, ainda não consegui quebrar a casca de certos temores. Apesar de possuir uma força imensa e ser capaz de fazer o que for para não deixar meus amigos caírem sou extremamente frágil...

Até os jovens se cansam e ultimamente tenho me sentido tão cansado que parece que já ter vivido 2 ou mais vidas inteiras ao passo que o tempo tem corrido, parece já ter passado uma eternidade, não sei se o fato de ser relativo o torna tão complexo assim. A despeito da falta de força, o Eterno tem me motivado grandemente, pois só quando esperamos em D-s é que até mesmo velhos nos tornamos jovens [Isaías 40.31].

Ontem quando visualizei minha caixa de entrada, vi um email que escrevi para mim mesmo a 4 anos atrás no Future Me para me ser enviado no aniversário de 2012, lá deixei uma reflexão sobre alguns pontos dificeis por quais passava e algumas mudanças que gostaria de estar vivendo no futuro, que já é presente, alguns objetivos estão acontacendo, outros em parte, alguns bem longe e outros simplesmente não aconteceram ou não mudaram em nada. O que não alcancei ainda de minhas aspirações foi pelo simples fato de não ter sido disciplinado, ter persistido e me esforçado de verdade, procrastinando o presente, perdi o futuro e nada me restou do passado a não ser desejos irrealizáveis.

Nossas escolhas ou a ausência delas, hoje, é o que nos tornarão o alguém do futuro, completo ou incompleto e será aquilo mesmo que veremos ante o espelho e por qual as pessoas chamarão pelo nome que é nosso. Lembre-se, toda semente boa ou má irá brotar [Gálatas 6.7], que plantemos a boa semente enquanto há tempo, não deixemos que as plantem por nós, pois podem jogá-las em terreno impróprio. Ainda que chorando, plantemos, eis que o vem o inimigo a plantar o joio [Mateus 13.24-30]...

Mudei e muito, não da forma como desejava ao escrever-me há quatro anos atrás. Mudei sim, mais do que poderia ter imaginado, aprendi tanto e descobri que mudança não é objetivo, mas processo, que deve acontecer a todo instante, se houve uma mudança, devem haver muitas outras, onde abundou o erro, a graça deve superabundar [Romanos 5.20], isso sim é evolução! Mudei minha forma de pensar, me libertei de muitos pensamentos que me tornavam cativo, é claro que o crédito é todo de D-s e isso faço questão de deixar explícito - não concordo com a filosofia mundana de que você não precisa de D-s e que pode tudo por si mesmo. Aprendi que nossa carga é grande de mais para que possamos carregar sozinhos, nossas mazelas, deficiencias, nossa cruz, apensar de nós próprios a termos de carregar [Marcos 8.34] não significa que não possamos contar com a ajuda divina [João 16.33, João 14.27 e Mateus 28.20].

Descobri o quanto sou amado, o grande número de amigos que tenho, que as pessoas realmente gostam de mim, mesmo/ apesar de meus defeitos, assim como gosto delas por completo! Fico feliz em saber que não sou apenas um bom irmão para minhas maninhas, mas alguém que elas adimiram, o que traz ainda mais responsabilidade sobre minhas decições, afinal, nunca as tomamos pra nós mesmos, mas para todos que nos amam.

Pelo visto não mudei o mundo aos 26 anos, como Steve Jobs e tantos outros que nos impactaram com sua paixão, sua arte, sua verdade, mas consegui mundar meu mundo, impactei bem mais pessoas do que esperava. Muito me alegro quando algum ex-aluno meu, não todos, que ainda se recorda de mim e com boas lembranças, isso não tem preço. Enquanto escrevia essas linhas, me embriagando de música, algo que amo, percebi que na verdade o mundo que importava impactar de fato consegui: o meu e das pessoas ao meu redor.

Tantas pessoas ganharam o mundo, tiveram todos aos seus pés, mas perderam o principal, seu próprio mundo, por ter tanta ganância quantos e quantos lares estão desfeitos, quantas vidas se perderam [I Timóteo 6.10], Amy Winehouse, Kurt Cobain, Elvis Presley - bom já deu pra entender que amo música. O que adianta conquistar tanto se o que realmete importa, o essencial, a gente acabar perdendo. A fama não pode trazer de volta o amor, respeito e consideração de quem amamos, do que vale ter todos a meus pés, prostrados, ante minha glória, se eu mesmo estiver perdido - e se a noite pedirem minha alma [Lucas 12.20]? O que acontece quando se erra o Alvo? Para onde se vai? [Apocalipse 20.15] Só há uma direção e um único Caminho [João 14.6].

Não posso afirmar se algum dia serei conhecido como minhas aspirações o desejam, há uma promessa de D-s pra mim, mas sei que é condicional a entrega verdadeira - o que sempre peço pro Papai, mesmo que erre tanto. Mas ainda que passe como um anônimo para os mais de 6 bilhões de pessoas da população mundial, posso dar certeza que não o serei para as quais tive o prazer de conhecer, as pessoas que se chocaram com meu universo, gerando novas constelações, que me impactaram e as quais pude impactar pelo simples fato de ser eu mesmo.

Posso ser pequeno, ínfimo as vezes, até mesmo imperceptível, mas tenho em mim sonhos tão  grandes e intensos como o universo.

Agradeço por cada um que me aceitou como sou, principalmente com meus defeitos [Provérbios 17.17], e por me ensinarem que não há como gostar de alguém atentando para seus defeitos, o ouro só se revela após ter sido polido e por fim com o fogo que o refinará, para que, por fim, possa brilhar.

Obrigado D-s, por ser pai, um Pai que me ama de uma forma tão intensa que não há como expressar [João 3.16], merecendo de mim não outro sentimento a não ser amor e gratidão [I João 4.19]!


Ósculos e amplexes,

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

3 Segredos da oração

Desconhecido ante a mim

A maldade em mim